Qual a diferença entre decorador e designer de interiores?

No dia 30 de maio, é comemorado o Dia do Decorador. Mas muita gente confunde Decorador com Designer de Interiores e Arquiteto.

Aproveitando a ocasião da data, vou explicar nesse artigo não apenas quais são as diferenças entre essas profissões, mas também como você, que está lendo aqui nesse momento, poderá ganhar dinheiro com decoração.

Quem pode trabalhar com decoração de interiores?

Das três profissões (decorador, designer de interiores e arquiteto), o arquiteto é quem pode modificar mais os ambientes.

Pense no arquiteto como o profissional que cria o espaço físico construído. É ele que planeja construções, sejam elas pequenas casas ou grandes prédios.

O arquiteto pensa nos usos que aquela construção terá, nas formas que podem tornar aquela edificação muito mais interessante, no conforto térmico e acústico que o espaço deverá proporcionar.

Ele também estará habilitado para estudar a relação do prédio com as áreas vizinhas e o impacto que aquela construção vai trazer para a região.

O arquiteto é o responsável por pensar na edificação como um todo. Ou seja, ele planeja não apenas as fachadas e toda a área externa do prédio, mas também os espaços internos. 

E é aqui que a confusão se forma: o arquiteto também pode trabalhar com interiores.

O problema é que dos 5 anos do curso de Arquitetura e Urbanismo, só 2 semestres são dedicados a matérias específicas que preparam o profissional para o ramo de interiores.

O que faz o designer de interiores?

A profissão do Designer de Interiores só foi regulamentada muito recentemente, no dia 13 de novembro de 2016, através da Lei 13.369.

Antes disso, não ficava claro o que um designer de interiores poderia fazer. Agora, todas as competências do profissional estão bem definidas e legalmente asseguradas.

O designer de interiores planeja toda a área interna das edificações. Ele deve sempre pensar nesses espaços internos da maneira mais confortável, segura, prática e bonita.

O designer de interiores pode, portanto, assinar projetos de interiores, elaborar planta de layout (que determina a posição dos móveis no ambiente), planta de forro de gesso e projeto luminotécnico (que determina toda a parte de iluminação artificial de um ambiente). Também pode fazer desenho personalizado de mobiliário, estudo de cores, materiais e acabamentos.

Porém, a tal Lei 13.369 sofreu um veto (Mensagem Nº 640, de 12 de dezembro de 2016) que deixou uma brecha significativa para a atuação do profissional: de acordo com ela, o designer de interiores não precisa de formação especializada.

Ou seja, teoricamente, uma pessoa autodidata poderia trabalhar como designer de interiores. Mas na prática, sabemos que isso pode ser muito perigoso, pois o designer não cuida apenas da parte estética dos ambientes. É preciso dominar regras de ergonomia, saúde, conforto térmico e acústico para criar espaços adequados.

E mais um detalhe: o designer de interiores não pode mexer na estrutura do ambiente sem autorização de um profissional capacitado, como arquitetos e principalmente engenheiros.

O que faz o decorador?

Por muito tempo, decorador e designer de interiores eram considerados a mesma profissão. A própria associação que cuida dos interesses de designers de interiores, a ABD (Associação Brasileira de Designers de Interiores), antigamente se chamava Associação Brasileira de Decoradores.

Hoje, muito se avançou na luta pela regulamentação do profissional de design de interiores, o que contribuiu para ir afastando, cada vez mais, os campos de atuação do designer e do decorador.

Das três profissões abordadas nesse artigo, o decorador é a mais prática de exercer, porque o decorador é aquele profissional que trabalha a parte estética dos ambientes internos.

Então, o decorador pode escolher móveis, fazer um estudo de cores para o ambiente, escolher peças decorativas e fazer composições estéticas com elas, escolher materiais, revestimentos e acabamentos; ou seja, toda a parte de produção estética.

designer de interiores

Assim como o designer de interiores, o decorador também não pode mexer na estrutura do imóvel; isso inclui derrubar ou construir paredes ou mudar posição de portas e janelas. O decorador também não pode desenhar móveis sob medida ou fazer projetos de layout, de gesso ou luminotécnico.

Vantagens de trabalhar com decoração

Por causa da pandemia, muita gente passou a se dedicar mais para transformar a decoração de seus ambientes. Mas nem todo mundo sabe como fazer isso por conta própria.

Por outro lado, nesse momento, essas pessoas não querem (ou não podem) investir pequenas fortunas em projetos caros de interiores, e que demoram muito para ficar prontos.

As pessoas precisam de mudanças rápidas e simples de fazer. Algo que transforme totalmente a cara dos seus ambientes, mas sem desestimulá-las com grandes reformas, quebradeiras ou soluções sob medida.

É aí que entra o papel do decorador, que pode oferecer consultorias práticas de decoração, orientando o cliente sobre como usar móveis prontos e peças soltas, quais paletas de cores o cliente pode usar ali ou como e onde colocar elementos decorativos no ambiente.

Sem reformas, nem projetos sob medida demorados, e ainda ajudando pessoas a terem casas mais bonitas e confortáveis.

É melhor ser designer de interiores ou decorador?

O decorador não precisa ter qualificação técnica para trabalhar com decoração. Isso significa dizer que você não precisa investir num curso presencial em uma faculdade ou instituição de ensino, que são caros e demoram pelo menos 1 ano e meio.

Para trabalhar como decorador, é possível usar apenas seu bom senso para isso, mas convenhamos que essa não é uma maneira muito segura de trabalhar, afinal de contas, o que pode ser bom ou bonito para você nem sempre será para seu cliente.

O ideal é buscar algum tipo de conhecimento, mesmo que ele não seja estritamente técnico.

Hoje, um bom curso online pode lhe fornecer um belo embasamento para que você possa trabalhar a parte estética dos ambientes com propriedade e segurança. Só atente para quem cria esses cursos.

Existem vários sites que oferecem cursos livres de decoração e até gratuitos (você só paga pelo certificado de conclusão), mas esses cursos são de origem duvidosa porque seus criadores nunca se especializaram ou sequer estudaram sobre o assunto.

E como você vai aprender de alguém que não domina o assunto?

Por isso, antes de fazer um curso online de decoração, procure saber quem é o professor para ver se ele sabe, de fato, sobre o que está falando.

Será que eu posso ser decoradora profissional?

Se você chegou até aqui, quer dizer que seu interesse em trabalhar como decoradora é uma possibilidade.

Pode ser que você não esteja vislumbrando como isso é possível para você nesse momento, mas eu te garanto que:

… então você tem tudo para ser uma excelente decoradora profissional.

É claro que aprender uma nova profissão requer um tipo de conhecimento específico, e nisso, eu posso lhe ajudar.

Vou ministrar um curso online gratuitamente, nos dias 14, 15, 16 e 17 de junho de 2021, chamado Jornada da Decorada Profissional.

Esse curso será dado AO VIVO e para participar, você pode se cadastrar tocando aqui para ir até a página do curso.

Talvez essa seja sua melhor oportunidade de ganhar dinheiro mesmo durante esse momento de pandemia, e ainda fazendo aquilo que você tanto gosta, que é decorar ambientes.

Por isso, clique aqui e cadastre-se agora na Jornada da Decoradora Profissional.

Um grande abraço e nos vemos por lá!